Tipos de lingerie feminina para cada ocasião

Ter muitas opções de lingerie feminina não é exatamente um problema para nós mulheres. Um guarda-roupas cheio de modelos e estilos, na verdade, é o que todas queremos; mas há um detalhe que acaba nos gerando dúvida: afinal, qual a melhor ocasião para usarmos determinados tipos de lingerie?
Pensando nisso, nós listamos aqui os principais tipos de lingerie feminina e quais as melhores situações para cada um deles. Algumas peças são versáteis e funcionam praticamente em qualquer ocasião, sendo quase impossível errar, outras, no entanto, são específicas e passam uma mensagem direta, exigindo que você sabe exatamente quando e onde usar.
Primeiro de tudo: sem seguir uma ordem de importância, vamos por ordem alfabética mesmo:

Baby Doll

A primeira peça da nossa lista já é um caso que precisa de esclarecimento.

O baby doll é geralmente um conjuntinho de uma camisola bem curtinha (também chamada de míni-camisola) e uma calcinha. Há também alguns modelos de baby-doll que trazem apenas a camisolinha, então não dá para dizer que sempre será um conjunto.

Ainda hoje, o baby doll é uma lingerie feminina sinônimo de beleza e sedução, já que suas peças são geralmente feitas de rendas, transparências com desenhos ou formas que valorizam o corpo da mulher, somando graciosidade a sensualidade. Essas características fazem do conjunto uma lingerie para uma noite mais “quente”, onde o clima está propenso ao amor e ao sexo.

Calcinha

Dispensando apresentações, a calcinha é a peça coringa no mundo da lingerie feminina. Ela está presente em quase todas as situações, combina com tudo e, com certeza, toda mulher tem uma.

Só que, apesar dessa fama, o segredo para usar a calcinha não está na peça em si, mas no modelo. Isso porque há muitos tipos de calcinhas (sim, MUITOS) e cada um deles pode passar uma imagem diferente para a ocasião.

Sem nos aprofundarmos muitos, veja :

Calcinha Biquíni

Talvez uma das mais conhecidas, já que está presente em todos os guarda roupas das mulheres e é considerada um “clássico”. A calcinha biquíni bastante confortável e também costumada. A cintura é baixa, com laterais razoavelmente maiores e a parte de trás média.

07384_Detalhes

Boyshort:

Como o próprio nome diz, o desenho se assemelha à praticidade masculina, a ideia desta calcinha é valorizar o conforto. Para isso, o cós do boyshort é baixo e as laterais largas;

Caleçon:

Também possui cós baixo e as partes laterais largas, mas o seu formato faz um desenho que valoriza bastante o quadril da mulher. O caleçon considerada um modelo mais sofisticado e sensual;

Fio dental:

Famoso e queridíssimo entre as brasileiras, a calcinha fio dental tem dois aspectos básicos: primeiro, ele é altamente sedutor; segundo, ele praticamente não marca as roupas, sendo ótimo para peças mais justas.

O fio dental tem como sua principal característica a parte traseira diminuta. É muito confortável e, apesar da sensualidade, também é considerado um modelo básico para o guarda-roupa feminino.

Maxi:

Outro modelo “básico”, pois tem como principal característica o conforto. O desenho é feito com cós alto e lateral larga. É a chamada calcinha comum do dia a dia, pois não aperta, nem incomoda.

String:

A principal característica deste modelo é a parte lateral fina (por isso o nome “calcinha string”, que significa “fio”, “corda” ou “barbante”), podendo ser regulável ou não.

O cós deste modelo é baixo e a parte traseira é de média para pequena, cobrindo pouco. É uma calcinha mais usada pelas magrinhas e também favorece muito os quadris.

Tanga:

Está no top 3 de calcinhas versáteis. É amplamente usada e muito confortável. O desenho da calcinha tanga tem as laterais estreitas e a cobertura considerada média.

É uma calcinha com design moderno e também uma peça coringa que pode ser usada em praticamente qualquer ocasião.

E se você pensa que as variações acabam por aqui, não se engane, pois ainda há o estilo da calcinha, como as de renda, sem costura, as variações como o fio dental duplo, as cores das peças, entre outras. E se você se pergunta, “mas onde eu uso tudo isso?”, a resposta é, depende.

Cada modelo pode ter sua “utilidade”, então é preciso analisar: um vestido justo pede uma calcinha que não marque. Agora, se a ideia é valorizar o bumbum, um modelo fio dental é o mais indicado.

Camisolas

Elas podem ser definidas como um tipo de lingerie feminina que tem média variação. Isso porque as diferenças entre os modelos de camisola vão se dar pelo tamanho (curto ou longo) e também pelo material (com renda, microfibra, tule, etc).

Isso, por si só, pode direcionar o uso da peça de acordo com a ocasião. Para o dia a dia, em noites de calor, a camisola básica de tamanho curto, feita de microfibra, é a mais indicada por causa do tecido leve e confortável.

Já quando o assunto é elegância, as camisolas longas são perfeitas, pois dão um ar de importância à ocasião e são extremamente vistosas. Como são belas e magnânimas, o ideal é que sejam usadas em situações especiais. E falando em situações especiais, as camisolas de tule, por exemplo, são altamente sedutoras, pois a transparência, com a cor certa, cria um belo efeito no corpo, valorizando as formas. E, se acompanhadas de rendas e calcinhas certas, são um arraso.

Cinta-liga

Dispensa apresentações e até recomendações. A cinta-liga, por seu aspecto diferenciado, já se caracteriza como uma peça especial. É praticamente unanimidade que ela traz sensualidade ao visual, transformando a ocasião.

Seja para uma noite especial, seja para “transformar” uma noite comum em especial, a cinta-liga é a peça que traz ares diferentes e tem um “impacto” perceptível nos homens. Se você ainda não conhece, é importante saber que a cinta-liga é usada junto a uma meia-calça sete oitavos, que é ligada através de sua barra por colchetes.

Para quem quer algo diferente em uma noite romântica e ainda não tentou, #ficaadica.

Espartilho

Caminhando lado a lado com a cinta-liga, o espartilho é uma “arma de sedução”, porém com uma característica mais abrangente: ele é uma lingerie feminina que pode ser usada como roupa de baixo, ou compor um visual mais sexy com roupas comuns (calças jeans, saias, etc.). Ele cobre a parte superior do corpo e, por muito tempo, teve como função afinar a cintura feminina.

Hoje em dia, sua função é mais ampla (como dito, ele pode fazer parte de um look urbano), mas a mensagem por trás de seu uso continua a mesma: ser sexy e sedutora.

Neste aspecto, ele partilha do status da cinta-liga e, quando combinado com ela e também meia-calça sete oitavos, fica declarado que a mulher está usando todo o seu charme para seduzir o parceiro. Por definição, o espartilho também é conhecido por muitos como corselete.

Short doll

Comumente confundida com o baby doll, a “short doll” é considerada uma lingerie feminina com o mesmo princípio do primeiro, porém usa uma camiseta (geralmente de algum tipo de malha), acompanhado de um short.

A semelhança entre essa duas “dolls” aparece em termos de “estrutura”; elas são dois conjuntos compostos por duas peças, mas possuem aspectos que as diferem bastante. Apesar do short doll também poder ser sensual, ele é mais associado ao conforto e leveza, sendo uma peça para uma noite comum.

Sutiã

Junto com a calcinha, o sutiã faz parte do conjunto básico de lingerie feminina. É o parceiro inseparável de toda mulher e também conta com muitos, além de se encaixar melhor com cada tipo de corpo.

Apesar de sua função “simples”, sustentar os seios, a grande variedade de modelos pode causar dúvida na hora de escolhê-lo para uma situação específica. Sendo assim, vamos aos vários modelos (novamente, em ordem alfabética):

Balconet ou balconê:

Trata-se de um modelo nem tão conhecido, principalmente por ser confundido com o modelo “meia-taça”. Suas características são as alças que ficam mais afastadas do centro do sutiã e também as partes laterais que podem ser médias ou largas.

O balconê tem este nome porque cobre apenas metade dos seios, deixando a parte superior à mostra. É uma peça comumente usada para situações em que não há problema deixar boa parte dos seios à mostra. Seu formato valoriza os seios médios e também os pequenos.

Corpete ou bralette:

Como o próprio nome diz, seu diferencial é o corpo alongado. Este sutiã tem base que pode ir até a altura do umbigo e não possui bojo.

Pode ser usado por qualquer mulher, mas é mais indicado para as donas de seios firmes.

Estruturado:

Um tipo de sutiã estruturado criado mais especificamente para mulheres donas de seios grandes, o modelo se adéqua bastante ao tamanho e faz com que os seios sejam moldados, com sustentação e firmeza.

11351_Detalhes

Meia-taça:

Como dito, entre este modelo e o balconet, há apenas algumas ligeiras diferenças: a distância das alças com relação ao centro e a largura das laterais. Em todos os outros aspectos, esses dois modelos de lingerie feminina são bastante parecidos.

O sutiã meia-taça tem um desenho próprio para quem quer valorizar o decote, mas não quer abrir mão do conforto. Funciona para todo tamanho de seio, sendo que o bojo se dá melhor para as donas de seios menores, enquanto as mais avantajadas podem usar a copa de espuma.

Push-up:

São modelos que aumentam os seios e ainda dão uma levantada. É um dos modelos que tem menor distância entre as taças e pode ter seu fechamento feito na parte frontal.

O sutiã push up possui aro e bojo e pode ainda ter enchimento interno. Para as donas de seios grandes, não é o ideal, pois pode proporcionar um aspecto ainda maior.

Top:

Um dos tipos mais confortáveis de sutiã, é a peça que funciona para todos os tamanhos de seios. Ele possui tecido suficiente para cobrir todo o seio mantendo-o firme.

Isso permite que as mulheres façam exercícios sem se preocupar com a movimentação, que pode causar incômodo e dor. Geralmente, o sutiã top não traz muitos detalhes, mas alguns modelos possuem bojo.

Lenço:

Muito confortável, é um sutiã que possui taças em formato triangular, que podem ser feitas de renda ou algum tecido fino.

Por não proporcionar muita sustentação, o sutiã lenço é indicado para as donas de seios menores e firmes.

E agora, já se sente uma expert em lingerie feminina? Ainda não encontrou a dica que queria? Deixe abaixo o seu comentário e vamos conversando.

Sem comentários

Deixe o seu comentário